sexta-feira, 10 de julho de 2015

Só Gaitán agita o nosso defeso e a crónica da Leonor Pinhão

Com os dias a avançarem, no Benfica só se fala de Gaitán. É claro que alguns elementos, entre os adeptos, que se afiançam como bem informados a perderem belíssimas oportunidades para estarem calados no que concerne às saídas de Jonas e Lima, possibilidades condenadas neste espaço. Com veemência e com direito a bruto contraditório por aqueles que umas vezes afirmam que os jornais mentem, mas outras, como nos casos dos duo brasileiro, embarcam na notícia, pois cheira a mais uma fabulosa valorização para encher cofres. E cofres cheios, como sabemos, por si só ganham títulos. São os mesmos que acham que os putos não servem para a equipa A mas que valem 15M€. É para rir, não?!

Adiante. Gaitán. Parece-me que todos estão com vontade de ver este mágico pelas costas, arreganhando o dente aos 35M€. E nisso incluo o nosso CEO (ou tesoureiro, como bem aponta a Leonor Pinhão), que ficou com enorme "ar de peido" com a lesão do Salvio. E mais estávamos livres da necessidade de vender jogadores... E hoje, para nos adoçar a boca em relação ao nosso 10, apareceu o nome de "Chicharito" Hernandez para a troca. Lamento: só se ele vier a preço de saldo, ao nível do ordenado. É que estamos em fase de desinvestimento total. 

Ainda assim, e apesar do realismo ditar outra coisa, muitos anseiam pelos milhões de Nico para atacar o mercado. Para combater de frente o "Oporto", lá está, como afirma a Leonor, que não tem pudor em elogiar a contratação de Iker Casillas e ver nela um paralelismo curioso com Júlio César e Peter Schmeichel. E outro ponto interessante da crónica de hoje: numa altura de emagrecimento, um Benfica, em teoria, mais fraco por força das contas dita que nos tenhamos que contentar em não vencer o título. Note-se que a venda de Gaitán, caso não repararam, serve para abater passivo. E ao contrário dos demais, que estão em alta a nível financeiro, nós estamos a tentar "limpar" os problemas de tesouraria. Ao mesmo tempo que preparamos o futuro. Resta saber quanto tempo vai durar a moda do abate do passivo. É que o nosso CEO sempre afirmou que não precisamos de vender e depois é o que se vê.. 

Obviamente que no futebol português estar pujante ao nível financeiro tem custos desportivos. E todos aqueles que estão tranquilíssimos da vida porque basta sermos bi-campeões para que se estenda uma passadeira estão enganados. O caminho escolhido é outro: é o do saneamento. E fazê-lo a ganhar é mais fácil. Mas a habituação a ganhar vicia, como bem sublinhou Vieira. O projecto de ter um Benfica made in Seixal agrada-me de sobremaneira. É o que sempre sonhei: ter uma espécie de class of 92 como o United. Mas a transição não pode ser à bruta. Nem o possível insucesso inicial pode servir para um retrocesso. Nem muitos podem, agora, estar à espera que os miúdos resolvam tudo (os mesmos que dantes falavam em sportinguização quando o assunto era formação). Mas também não se não exigir que o plantel tenha fortes argumentos para conquistar mais e mais.  Sim! São precisas trutas!
Para já há silêncio na Luz, só se fala mesmo em Gaitán. Se nem falassem nisso, até dava o plantel fechado (com a vinda de um lateral). E temos, para já, de confiar nesse silêncio e aguardar pelo 31 de Agosto para ver os nossos argumentos... 

2 comentários:

moleculasdeamor disse...

Casillas não está ao nível de Schmeichel ou Júlio César... é um Paulo Lopes com estilo... é a minha opinião...

Anónimo disse...

Infelizmente, o passar do tempo leva-nos a concluir que Rui Vitória - homem sério e honesto - foi cirurgicamente escolhido por LFV para ser o "Toni do século XXI". Confirma-se o que fonte próximas do presidente já haviam adiantado: LFV e DSO vão, com incalculáveis custos/prejuízos desportivos, desinvestir no futebol porque não tencionam ficar nos seus cargos. Não serão candidatos a renovar o mandato. RV já entrou com os orelhas baixadas. Não tem peso; logo, não tem poder reivindicativo. Há semanas que, alternadamente, as notícias lanças pela «estrutura» são invariável e intencionalmente relacionadas ora com a renovação de Jonas; ora de Júlio César ou de Jardel. Não vai passar disso. este SLB de LFV, na sua versão 2015/16, é um tremendo desafio à sorte. A decisão está tomada: LFV calendarizou, para 1016, a sua saída do Benfica, com a "salvaguarda" do Bicampeonato. Quer agora deixar uma marga ao nível financeiro. Custe o que custar. E vai custar(-nos) muito...

Enviar um comentário

Debatam... Discutam as ideias. Não insistam no ataque e ofensa pessoal. Apresentem argumentos válidos a favor ou contra. Fora isso, será removido.